domingo, 23 de julho de 2006

poema itinerário volume dois pontos
inda nem bati o ponto.
caminhada dura minha. vendo bois e compro ois
e inté mais ver.
carreguei em a capanga umas laranjinhas capetas
e uma casa de joão-de-barro desabitada.
andei caçando um poste dess de madeira.
que marimbondo fazia morada.
pedi pouso por ali. pernoitei sem pregar
os olhos.
cafezais & palavras que eu trazia em a'gibeira.
se tudo correr bem, manhã eu observo umas
galinhas d'angola e uns passaros-pretos.
gosto de falar passo-preto. aprendi sempre
dizer passo-preto.
mas não gosto de ver animal piado.
ouvi dizer que vivem praquelas
bandas.
em manhã que vinha doirada, eu segui
esta minha jornada.
só agora apiei p'ra escriturar o que presenciava.
de a próxima mantenho inconformados...
com muito gosto.

12 comentários:

Keila Sgobi disse...

obrigada pelo canto desta tarde azulada,
mas cuidado com os quero-queros!
quando alguém se aproxiam de seus ninhos, eles atacam!
eu mesma já fui atacada!!! No pescoço! :oO

sendo assim, mantenha tua gargatinha resguardada para não perdermos o prazer de sentir teu canto diariamente!

Clarice disse...

ois valem mais que
muitos rebanhos de bois
aqui na minha terra.
por isso me associo
em nesta caminhada
que as vezes
se desencontra
em ais dissonantes
ou se descobre
em estas quimeras

sorrisos meus

Múcio Góes disse...

viajei por Minas, aqui, diante dessa tela fria e colorida.

B. Pedro I
[]´s

Cristiano Contreiras disse...

Domingo sucks! :/

paulo vigu disse...

Cenas de Guimarães Rosa - Coisas de Manoel de Barros - Caminhos trilhados ao som da Flauta de Pã? - Abraço poético - PAulo Vigu

Felipe K. disse...

Um toque de Manoel de Barros nos sons de pássaros piados. E, ao mesmo tempo, tão diverso dele!

Leandro Jardim disse...

Rapaz de onde tira essas coisas? Eita caxola boa!

abração

eduardo disse...

belo poema . Parabéns...

Luzzsh disse...

Oi Pedro,
Gostei muito desse!
Vou te adicionar lá no Lume. Posso?
Beijos.

Rayanne disse...

Que linda,
esta jornada.
Remete ao tempo que o orvalho
'inda tinha notícias da passarada
e na noite azulada
dormiam os nomes
lado a lado.

Estrelas.

Márcia(clarinha) disse...

o azul do céu faz cair orvalho e ilumina asas dos pássaros pretos que passo-a-passo fazem seus ninhos no chão.
Amei essa viagem Pedro, valeu!
linda semana
beijossssssssssss

Claudio Eugenio Luz disse...

Caminhadas, entrecruzadas, no espaço vertiginoso das montanhas e do planalto. Eita, nós!

hábraços