segunda-feira, 24 de julho de 2006

e uma alegria inesperada
adentra sem parar sem parâmetros
até sem pedir permissões
adesões conclusões condições.
sorrisos-lágrimas por
passear tão desapercebida.
alegria quando chega num
quer mais largar.

14 comentários:

clarice disse...

seja esperto e gruda nela

Sara disse...

E é bom quando bate essa alegria descabida.
Que dure bastante.
Mereces.
Bjs

Keila Sgobi disse...

como diria uma querida amiga mineira "garra ela!dex'mbora não, moça!".

Pruveita, rapaz, pruveita!

Vocês poetas têm estado felizes!

Fico feliz também!

A leitura é como um espelho da poesia: se o espelho estiver quebrado, não entende nada; se estiver completo, vê o que a poesia diz!

Obrigada por manter meu espelho completo, sem tricos!


Beijo, pedrinhu!

eduardo disse...

Muitas vezes, eu me sinto iluminado...
Como sempre um poema belíssimo

Cristiano Contreiras disse...

Inebria!

朝川栄一 [Asakawa Eiichi] disse...

toda pretenções e exibições esta alegria, não é. Que bom que ela seja assim, entrona quando-e-vez.

Lubi disse...

E o bom é isso.

Múcio Góes disse...

alegria
alarga
o dia.

[]´s

bruna maria disse...

Deve ser por isso que ela demora tanto a chegar: a chegada compensa a espera. Um beijo!

Valéria disse...

belo banquete quando a alegria engole a gente!
beijo beijo

Leandro Jardim disse...

que beleza, em todos os sentidos, inclusive você!

Octávio Roggiero Neto disse...

Olha, Pedrão, Deus saberá recompensá-lo por tudo o que você fez. Seu gesto de amizade ficará guardado com toda a gratidão dentro do meu coração, assim como sua criatividade em meu encantamento. Uma pessoa, assim, como você, merece mesmo ser tomada de inesperadas e aderentes alegrias.
São dez anos que me proponho a versejar, dês da morte de meu querido pai. Posso afirmar que nesta jornada toda este presentão que você construiu pra mim foi o que me proporcionou a mais satisfeita alegria.
E diga lá... do jeito que você é, meu caro, como é que o mundo seria capaz de não sorrir pra você de volta?
É justa também a Poesia, que tem sido muito generosa com você, seja em qualidade, seja em quantidade. Sim, porque a arte não é fruto do nosso querer, apenas. É, na verdade, resultado de nossa perseverança, mas somado a isto o poeta há de cair nas graças da Poesia, caso contrário, pode sentar e se debruçar sobre uma folha em branco, que não sairá um verso bonzinho sequer.
Percebo que o seu destaque entre os poetas blogueiros tem causas muito além do seu talento como artista, antes disso, é decorrência de sua grandiosidade como um homem de bem. Porque um grande homem e um grande amigo se mede pelos gestos.
Brigado, Pedrão, mil vezes brigado!
É certo que tenho muito pouco a oferecer, mas quando precisar de mim, saiba que estarei às ordens!
Vou ver se escolho um poema pra estrear o "primícias poéticas versão Charlie Chaplin, como você já batizou!"
Té mais!

Tanara disse...

e quando é mesmo que ela chega?
diga a ela que não ligo para proximidades, muito pelo contrário, elas que não ligal pra mim...
.
beijos! beijos...

Claudio Eugenio Luz disse...

Sem parametros, sem fronteiras, alargando, sempre.

hábraços