sexta-feira, 21 de julho de 2006

poema itinerário
faz alguns dias que exercito
uma nova rota.
amanhecendo, garrancho
um verso. e tomo um poema
p'ra desintoxicação. ou não.
uma frase não me sai de
a memória.
estou lendo em as calhas.
se chover, vai goteirar.
tento um rascunho novo
de a f[r]ase. se conseguir mando
notícias. me esmero.

15 comentários:

Keila Sgobi disse...

me dá a receita deste poema que o embebeda todos os dias?

to precisada d'algo que me anime a escrever coisas bouas mesmo...

pode passar?

beijo leve na testa (para você nanar)

Cristiano Contreiras disse...

se jogue! enjoy it!

marcia cardeal disse...

vim gritar que adoro isso! bjs

Mary disse...

eu espero. :)

beijos!

Sara disse...

Vim até aqui nessa bela manhã de sábado pra desejar um belo final de semana. Cheio de frases e poemas.
bjs

Claudio Eugenio Luz disse...

Não sei se vai conseguir, mas já consegiui conquistar esse pobre leitor.

hábraços

Múcio Góes disse...

exército de letras,
indomáveis frases,
sem demora, invadem
a folha branca
e rascunham guerras,
de ontens e afins.

[]´s

朝川栄一 [Asakawa Eiichi] disse...

com gosto de ressaca, de gosto remanescente na boca e na mente. não gosto de sentir isso, mas gostei imenso de ler! []´s

carlos muzilli disse...

Pedro, sempre vomitando chuva boa, gosto da sua panorâmica. Abraços poéticos.

eduardo disse...

Cada saemana um poema... me empresta um pouco da sua sensibilidade

Octávio Roggiero Neto disse...

Pedrão, tô pra te falar que não é de hoje que ando flertando seu blog! Fucei com paciência os html's da vida pra ver se conseguia fazer da minha humilde página alguma coisa com características parecidas, mas o que restou comprovado depois de muitas tentativas não foi outra coisa senão a minha ignorância acerca das manhas do computador.
A Keila outrora me disse que você manja bastante desses assuntos, o que é facilmente notável pela estética que você tem dado ao "por quimeras que pareça". Aliás, gostei muito do "branco e preto" e mais ainda de como e onde você dispôs cada peculiaridade do blog, a saber: o arquivo, os links atinentes aos poetas-leitores e tudo mais. Então, diante de tudo isso, decidi escrever pra você pra te pedir uma ajuda: uma orientação ou, quiçá, caso não lhe tome muito tempo e trabalho, e se for descomplicado, te pedir pra que transforma-se em html um modelo que fiz aqui no Word.
Bom, estou sinceramente receoso de que estas palavras sejam inoportunas e atrevidas demais, mas decidi arriscar este pedido mesmo assim.
É isso aí, Pedrão, caso você possa, deixarei meu e-mail:
octavioroggiero@yahoo.com.br
Ou, se você preferir, mande palavras nos comentários do primícias poéticas mesmo, beleza?
Fica então a gratidão antecipada, senão pela ajuda, pela paciência ao ler este pedido.
Té mais!

Nanna disse...

Venham logo suas palavras...

BEijos!
:)

bruna maria disse...

Rapaz Pedro, a cada poesia postada, você cresce. Essa é linda. Gosto da sua capacidade de transformar uma única palavra em diversas interpretações. Linda a imagem da goteira, da chuva, da calha. Um beijo!

Leandro Jardim disse...

Tu é rei!

Clarice disse...

tuas notícias vem
como brisas ternas
bjs