segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

espaço passo dias 
lendo poemas visuais.
acho, de o verbo achar
que hoje ainda cedo existia
um poema queria
formular.
em tão mal criado.
quando madrugava tentei
um labirinto de umas frases. então...
adormeci.
já é janeiro.
e em esta cinza-feira
queria transbordar em poesia.
até ligaram aqui hoje.
perguntando se engano eras.
Pedro Paulo Pan, verão de 2010

10 comentários:

Pedro Pan disse...

"Apanhava com o olhar cada sílaba do horizonte."
Guimarães Rosa

Suhelen disse...

cinza-feira poética.
muito me apraz pensar em ter vários dias cinzas poéticos.

beijo grande!

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Engano nunca é.

até mais.

Jota Cê

Diana disse...

é complicado quando palavras pedem pra transbordar, mas não encontram poros ou não querem realmente suar. é um parto frustrado. Cinza-feira é um termo que se encaixa em tantos momentos, não sei, mas creio que essas palavras de hoje foram as que mais me encantaram até hoje.

Darlan disse...

És sublime, meu caro.

Dreamer disse...

E as folhas do calendário se vão, perdendo o rumo e a utilidade como nós mesmos, Sr. Pan.

Voltei à blogosfera. Será?

clarice ge disse...

quando adormeço 'assim'... as vezes desperto ontens, as vezes amanhãs, as vezes horizontes...
já é quase fevereiro, é preciso estar atento pois de repente já é dezembro novamente...
sorriso Pan

Alex Pinheiro disse...

Uow!

Venho de ressaltar um verso em especial,,, desses que, se não veio de alguém, deves registrar (rs): "em esta cinza-feira"... isso é de um arcabouço genial sensacional!

Tenho orgulho de dizer que visito-te há tempos...

Abraços e belíssimas invenções!

J.F. de Souza disse...

talvez
seja

desengano

Su disse...

Ahhh que bonito!


Bjosss!