segunda-feira, 10 de novembro de 2008

por estas bandas, tem
rios que acalentam.
estes rios, com que navego.
acalanto.
vento. o vento preparava nosso
cabelo p/ ser bagunçado.

o quintal, é silêncio por agora.
(estes quintais tão milênios)
tem pessoas que minha poesia
não é pra ser lida.
é pra ser chovida.
e vivo em pátria mãe gentil.
tem verso meu, qual existe
pra martelar, entortar
nossos disparates.
há pessoas que sabem ler os rios.
Pedro Pan, 2007

14 comentários:

Pedro Pan disse...

"Quieto; muito em quieto a gente chama o amor: como em quieto as coisas chamam a gente"
Guimarães Rosa

chaotic queen. disse...

olha, casa nova por aqui.

o silêncio nos dá tanto para falar, pensar, agir, viver. o silêncio constrói, destrói, armazena e dispensa...

ah o silêncio, apaixonante. quase sempre, as vezes é também destrutivo... mas sempre, invariavelmente, insano.

suhelen disse...

em rios relampejam tuas palavras inundando de satisfação quem passa por aqui.
quintais chuvosos em dias quentes: minha quimera de agora.
deve ser lindo escrever rios.

beijos,
o vento te beija por mim.

Márcia(clarinha) disse...

Salvemos os versos, salvemo-nos!!
lindo dia pedropoetinha
beijos

diovvani mendonça disse...

E há peixes que nadam dentro de mim quando leio certas letras.

~^ abraço ~^ ~

Rayanne disse...

...que a gente vive empurrar os rios, que se riem marulhando das nossas vontades...os rios? Ah! Os rios....estes correm alheios às nossas verdades!

**Estrelas!**

Paulo Viggu disse...

É. Perguntei à menina: por que está chorando? Ela respondeu:não sei, acho que estou virando rio. Lá no Pantanal há muitos leitores de rio. Eles se emcontram em bando na casa de Manoel de Barros. Riodaqui na saudade. Paulo Viggu

Mr. Ziggy disse...

Ah, Pedro! E eu fiquei assentado na beira, vendo o rio andar por aí. E que desenho bonito que ele faz! Abraços!

Pequena Poetiza disse...

o natural e puro
a essência por si só
o simples
tudo isso vejo no que escreves e me encantou por demais

belo belo

bjos

camila disse...

será que eu sei?

Alex Pinheiro disse...

e há pessoas que sabem escrever os rios,,,

Abraços e provincianas invenções!

J.F. de Souza disse...

Eu? Sempre procuro ler as margens... Talvez devesse...

clarice ge disse...

tua poesia é para ser bebida, feito vinho bom, bem lentamente.
menino, cê mimpresta as asas?
carinhos pra ti

Giovani Iemini disse...

gosto de coisas simples!