sexta-feira, 31 de outubro de 2008

bêbados em boteco
perto de minha casa,
dizem em um caneco:
"menino cê têm asas?"
Pedro Pan, 2002

12 comentários:

Pedro Pan disse...

"Apanhava com o olhar cada sílaba do horizonte"
Guimarães Rosa

chaotic queen. disse...

por favor, nos dê o endereço dos anjos.

Mary disse...

saudade de tu, pp!

e eu sei que vc tem asas sim! :P

beijosss

Octavio Roggiero Neto disse...

se fosse possível existir um trova modernista, essa seria uma. adorei: uma trova a la Pedrô!

tentei refazê-la com métrica, coloquei bêbados no singular, e ficou assim:

um bêbado de um boteco,
bem perto de minha casa,
me disse com seu caneco:
"ei, menino, cê têm asa?"

gostei muito, mas bem melhor o original, sempre!

forte abraço, meu irmão!

Suhelen disse...

se esse menino não tiver asas, vou encontrar os bebados no boteco.

de uma sutileza tuas palavras, moço...

beijos

Moca disse...

se não for menino, de que vale as asas?

Rayanne disse...

Eu nem bebi e também acho que tem.

**Estrelas!!**

Tanara disse...

ahhh...
Andei longe,
mas é tão maravilho voltar aqui!

Lidiane disse...

Cê tem?
Tem!
Transparentes!

Octavio Roggiero Neto disse...

que eram vários os bebuns, tá certo, só que ninguém sabia, então é aquele velho ditado: quem conta um conto sempre aumenta um ponto. no caso diminuiria, mas tá valendo. como disse, o original supera as cópias!

uma pergunta, no entanto, não quer calar: afinal, o Pedro é ou não é alado?

abraços, Pedrô, os mais fraternos!

Rubens da Cunha disse...

ainda bem que todos nós, poetas e bebados, temos asas :)

J.F. de Souza disse...

O poema voa
A mente gira
Momentos únicos
a boemia nos propicia