segunda-feira, 8 de outubro de 2007

parei de conjugar indelicadezas.
daí comecei a maturar
felicidades.
o que é bão tem o dedo
de Deus.
digo sem lágrimas
em o coração.
de minha alegria cristã
saber entender quando as falas
estão contra
nós. vós. eles.
quando vós de a vez
é você.
tô tão feliz quea
tristeza num adere
meu pensar.
agora eu digo: tadinha!
corro léguas de a
tristeza. meu carinho
é com a boa idade.
tudo muito bem. tudo muito bom.
estamos conversados?
Pedro Pan, 2007
e daí? sentamos
em chão. em passeio.
passeios públicos.
de ali, fixamos em
tarde sexta a
falar de amores
amoras
paixão. e coração.
em rua de ela.
de lá.
e carecemos de ver a
tarde passar tranqüilamente.
Pedro Pan, 2007
"era uma viagem inventada no feliz"

27 comentários:

Pedro Pan disse...

"Um outro pode ser a gente, mas a gente não pode ser o outro. Nem deve."
Guimarães Rosa

Lidiane disse...

Pedro, esse eu vou guardar.
"parei de conjugar indelicadezas" soou tão lindo!

Claudia Perotti disse...

Fazia algum tempo que não vinha beber da tua poesia. Puxa! mudou o layout e ficou bárbaro ... as letras ... ah! essas são sempre divinais!

Beijinhossss

Erika disse...

simplicidade ainda que tardia.. e viva a alegria.

beijos kiridu

Navegando com o Álvaro Míchkim disse...

Rapaz, capaz, audaz, jaz a produzir infinitos versos de luz para, sem anelos ou anseios, alegrar corações alheios. Que assim seja sempre para o bem de todos nós, meu caro, pois teu faro como o são os seus versos, são como uma torrente de chuva em dias de verão.....
Abraços.

Clóvis disse...

Maravilha, rapaz.
Leve-se
E-Leve-se.




Abraços sorridentes, pra ri.
pra ti.
pra nós.

Tanara disse...

Amores,
Amoras...
Me trazem amor, e alegria
pro coração...
Tudo muito bem versado.


beijos

Tanara disse...

ér... bem... hã,

Lindo!
Lindo...

Saramar disse...

Ler essa delicadeza é ficar feliz.

beijo

Mel disse...

Então estamos conversado. Vamos deixar a tristeza de lado!

Octávio Roggiero Neto disse...

estes versos vieram bem a corroborar aquela idéia do Rosa de que infelicidade é questão de prefixo. tô aprendendo contigo, Pedro; aos poucos, mas tô.

feliz dia das crianças, meu irmão de segunda infância!

e té mais ler!

ALF disse...

Com a perspicácia dos Deuses.
Poema lindo.

"maturar felicidades"

Talvez este seja o ponto.

Abraços.

B. disse...

Lindo, moço. Lindo, delicado, sutil.
Tua marca.

Rafaela Silva Santos disse...

Pedro a conjução de verbos no coração é bem mais complicado do que falado...será q fez algum sentido?bem, bem, por vezes é mais simples sentir do que dizer em palavras.Beijuuss

Claudia Perotti disse...

Duas riquezas!
Beijinhosssss de boa semana!

Alex Pinheiro disse...

Maturo felicidades também, mas me perdi nas vezes em quantidade que desacredito em divindades,,,
...
Gosto de papo em passeios públicos,,, em calçadas frias,,, em pronto-socorro,,, mas desse último quase não dá pra ver a tarde cair tranquilamente, rs

Abraços e adoçicadas invenções!

Múcio L Góes disse...

há vezes em que a tarde passa e nem me olha...

[]´s

Mariliza Silva disse...

Que bom para de conjugar indelicadezas, tristezas, besteiras

Amar ou qualquer verbo no infinitivo nos traz esperanças de uma novo olhar.

beijos

Mariliza

paulo vigu disse...

Tristeza não adere o pensar do poeta. Meu barco andejante volta pra casa feliz. Riodaqui. Abraço no dono da casa.

Clóvis disse...

Sempre acolhedor passear por entre os seus versos, sobretudo quando é fim de tarde e as cintanlâncias aderem rente às frestas e sob a poesia.


Abraço, poeta.

David Miranda disse...

a forma como decidimos viver a vida determina em muito quem somos e o que fazemos e como estamos na vida.

um abraço

Sayô disse...

Parar de conjugar indelicadezas é
o que há,sabia?
Conjugar indelicadezas, eh utilizar o tempo erroneamente.Eh gastar energia em triplo.
O q eh bão tem dedo de Deus,
é o q existe de mais simples.
E a felicidade encontra-se
nessa simplicidade. Felizes e
abençoados são os olhos que voltam-se para essa simplicidade.
Salve nós!

Márcia(clarinha) disse...

nem um pode sumir assim deixando outro preocupado, não deve. :-(
beijos pedropoetinha

Márcio Hachmann disse...

Navegando por links ousados, desaguei nesse seu porto poético. Dizem de amores, à primeira vista, é o que são. Sim. Estou encantado com tanto lirismo na tela do meu computador. Não tem preço! Não tem mesmo. P-A-R-A-B-É-N-S! Seus versos me fazem sentir ao lado de um profissional ultra requisitado.

Saramar disse...

Poeta, o blog ficou lindíssimo!

Por onde anda você?

beijos
P.S. Cadê meu comentário que estava aqui?

Fábio Reoli disse...

Pedrão é sempre uma alegria aos olhos passar por aqui, meu velho...
Abração

diovvani mendonça disse...

Conjulgas agora no tempo certo.
"prestenção" - na minha modesta, opinião.

~^^ ~Abraço~^^ ~