sexta-feira, 26 de outubro de 2007

eu sorrio
tanto de nomes
exdrúchulos.
agora não é
madrugada em nossa
cabeça.
e tento tanto
um poema, qual não
sei dizer. de que.
queria tanto que o
telefone tocasse
em esta manhã que
mais madrugada não seja.
e o telefone
tocou enganadas vezes
enganando vozes.
Pedro Pan, 2007


como preciso ler
as cabeceiras
de o livro.
receitas projetos fragmentos
quero ler a tua
orelha.
pra dizer bondia.
andava por a rua
a inventar cantigas
sublimes
e se foram bem
em aquela data.
Pedro Pan, 2007


pessoas sumi mais estou aparecendo
aos poucos, inda que incolor. desbotado...
pensei em postar mais que 2 poemas
mas a preguiça companheira de agora
não permitiu. volto a frequentar os
blogues de vocês aos poucos e sorrateiro
quem sabe em a surdina.

comentarei devidamente só peço um tempo.
ah! quem se preocupou comigo e minha
sumida, escapulida. estou vivo, bem e amado.
Saudações minhas,
Pedro Pan

34 comentários:

Pedro Pan disse...

"E se me achar esquisita,
respeite também.
até eu fui obrigada a me respeitar,
"
Clarice Lispector.

diovvani mendonça disse...

Lá e aqui - há coincidência de ouvir e ligar palavras. Acho, que nossas orelhas precisam conversar. tilintar: bigornas e martelos... E ou, quem sabe; prestarAtenção, na letra de uma velha cantiga de ninar, radiofônica-AM com chieira e tudo + d´direito; de um tal remédio "AURISCEDINA".

~^^ ~Abraço~^^ ~

Clóvis disse...

Sempre fascinante, poeta.
Maravilha!

Erika disse...

pensei em inventar cantigas de ninar... mas vc anda dormindo demais...

botei a banda prá tocar na sua porta... acorda.

beijos e ótimo final de semana

Rafaela Silva Santos disse...

Eitá Pedro é assim mesmo temos por vezes essa necessidade de sumir...quanto a poesia, tb estou assim, procurando escutar masi que escrever, apesar de estar sendo difícil...rsrsr.Beijuuuss

alex pinheiro disse...

Uia... cheiro de boa travessia,,, rs
...
Das confusões que a madrugada nos faz quando furtivos poemas são furtados,,,
...
E vamos lendo até bula de remédio,,, pra dizer bom dia,,, rs... cantigas vencidas...

Abraços e conectadas invenções!

Filipe disse...

Algumas madrugadas são mais doídas que Adeuses.

carlos muzilli disse...

tem uma quimera de pag. 161 lá em meu blog para vc responder

ALF disse...

ainda bem que não sumiu. Seus poemas são primorosos e cheios de vida.

Venha quando puder.
Mas nunca suma de vez
;)

Saramar disse...

Enfim, uma notícia!
Amor e saúde.. isso importa, o resto se vê depois.

bem vindo de volta.

beijos

Márcia(clarinha) disse...

Bom sabê-lo bem, melhor sabê-lo rindo, mais ainda poetando...
carinho meu procê pedropetinha
beijos

menina disse...

enganadas vezes enganando vozes

que mágico isso.

beijos

clarice ge disse...

frasesona esta de abertura aqui!!!

estranhei tua falta de presença mas como meus pensares tendem ao otimismo aguardei notícias que por hora me satisfazem e alegram por estares vivo e bem e amado.
Te saúdo na saudade desde meu retiro onde me encontro viva bem e amando.
beijo meu

paulo vigu disse...

Por onde andará o poeta-irmão Pedro Pan? Telefone enganando vozes vão tocando, enquanto Pan vai por livros, a ler orelhas. Riodaqui. abraço no dono da casa.

p edro disse...

Enganadas vozes, enganadas vezes

muito bom, chará.

e boa volta :)

Tanara disse...

Estou pobre de adjetivos...
Quem sabe assim, bem de repente,
um dia que sabe,
eu descubra o de hoje...

Beijos...

Claudia Perotti disse...

Essa retorno me alegra!
Beijinhossss

Suhelen disse...

e o toque que engana varias vezes, em varias vozes... e qua a madrugada ainda seja!!!

ai!

bjoos..

paulo vigu disse...

Faço a guarda e aguardo o poeta-irmão Pan para um mergulho no rio. Ele não chega, decerto por ter parado na esquina contando causos e falando sobre coisas de guimarães rosa, manoel de barros etc. Rio daqui. Abraço ao poeta

Múcio L Góes disse...

"quero ler a tua orelha"

que mais dizer, né?


abraço, Pan!

volte, sempre.

Camila Lordelo disse...

meus olhos sorriem.

paulo vigu disse...

Por onde andará Pedro Pan?
Riodaqui

Mariliza Silva disse...

Morrendo de saudades, te aguardo em meu blog. Se estás sumido, eu também, mas sabemos que não é de propósito!

Um beijo

Mariliza

clarice ge disse...

passo pra deixar um abraço
aquele carinho sempre
por este espaço

Márcia(clarinha) disse...

kd?
beijos meus procê pedropoetinha

Lunna Montez'zinny disse...

Pensei que o cansaço me levaria, mas este me deixou ficar...
A chuva lá fora alaga o que há de rua por aí...
A janela fica aberta e você se chega assim nisto que outros chamam de madrugada...

Cigana Zirila disse...

to com saudade de sua presença em minha vida virtual
espero que estejas bem
zirila

Mago disse...

Estando bem, amado e vivo, feliz fico por ti e aguardo sua volta, sem cobrança, sem expectativas, apenas com o rspeito e o carinho de sempre. Amo Clarice, e foi uma surpres ler um trecho do texto dela aqui dentro. Um grande abraço do Mago e udo de bom!

Saramar disse...

Ambos os poemas são belos.
Madrugadas sem voz se tornando manhãs são berço de poemas.

beijos, boa semana.

F. Reoli disse...

Pedrão, tuas letras sempre fazem falta nessa blogsfera desvairada, mon ami...
Abração

mary disse...

=|

Rafaela Silva Santos disse...

Pedro tb queria que o telefone tocasse e do outro lado da porta um certo alguém me esperasse...beijuuss

Lidiane disse...

Que bom que está bem e amado.
Estar amado e amando é bom, muito bom.

E sabe, meu telefone toca, não sei se isso é bom, ou neste momento, isso é mau.

Anne Baylor disse...

Uau..
Tocou enganado..
Enganando todo mundo..
QUe massa..

Gostei demais.


=]