segunda-feira, 1 de outubro de 2007

inda hoje acordei
com medo de
tautologia.
será que consigo um
poema que rabisco?
ousei um verso. não
era bom. trazia o pesado.
prefiro o sublime ato de
apagar.
apaguei. ree
screvo
então assim:
meu pensamento
foi pras
lonjuras
.
Pedro Pan, 2007
voltei a travessia. ou a travessia me voltou.
volto aos poucos, aos cadim. estou me procurando inda

27 comentários:

Pedro Pan disse...

"E tudo me deu um enjôo. Tinha medo não. Tinha era cansaço de esperança."
Guimarães Rosa

Darlan disse...

saudade de tuas palavras, Pedro! Sabe, versos leves não são minha especialidade, eu gosto dos pesados mesmo, gosto de verso que sangra. são esses que lavam a alma. E tautologia eu não sei o que é.
rs

-.-'

B. disse...

Há controvérsias, não?
Afinal algo por aqui rendeu um bom poema. Adoro essa forma de escrever tua.


Beijo meu.

menina disse...

gosto de palavras que me deixam sem reação. a poesia não lida, compreendida, mas sentida. é essa a tua. essa de hoje. essa que cutuca a gente com o dedo nas costelas e sopra versos no ouvido.

o layout novo é lindo.

beijos, moço

Lucas Alvz disse...

Olá!
Gostei de seus poemas.
afinal, pescamos estrelas de várias formas...

Clóvis disse...

Ê maravilha...
Da vastidão mais lúdica, do silêncio que precede o verso.


Abraço, poeta.

Vieira Calado disse...

Está muito bem este poema. Fizeste como devias. Quem sabe, sabe.
Um abraço.

*borboleta disse...

gosto de concretismo, mesmo que não concreto. =]

Rafaela Silva Santos disse...

Pedro esses rabiscos que são apenas riscos não deixam de ser pedaços de nossas imperfeições, pedaços apenas de nossas emoções.Beijuuss

Mary disse...

Deixe o pensamento vaguear...

Gostei de o sublime ato de apagar.

:)

Adorei o novo layout! Está lindo!

Beijos!


p.s: Quando vi "1" comentário achei que você tivesse desistido da idéia de moderar os comentários! hahaha
Triste engano meu! Hunpf! :P

paulo vigu disse...

Ousou um verso. Daí em diante já estava nas lonjuras. Riodaqui/ abraço aí/Paulo Vigu

Múcio L Góes disse...

eis o bom do pensar, voar, voar...


ótimo lay.

;)

Erika disse...

acho que este seu template foi o que mais amei até hoje.....

ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii


beijos

Rayanne disse...

Mas depois que apaga, o brancpo fica tão bonito de lembrança. Reescrever. Reviver. Rever. Até.
E baste não,
que além
vai mar.

**Estrelas**

Mel disse...

Opa, eu cheguei aqui para comentar o post e me deparo com esse comentário seu e me surpreendeu ainda mais!
ótimo fim de semana, Pedro. bjo

ALF disse...

Num desenfreado lançamento interno.
O poema foi...

e veio.

abraços

Márcia(clarinha) disse...

volte pedropoetinha, sem medo.
carinho meu procê
beijos

luma disse...

Misturando matemática com português?? Dá verso mesmo não! Bom fim de semana! Beijus

alex pinheiro disse...

Guardo versos indesejados,,, acabam noutra hora cabendo...

Mas o ato sublime de apagar foi sublime, Pan... Gosto mais quando escreves assim, solto, descompromissado,,, mas é ruim te saber assim um bocado melancólico...

Abraços e atravessantes invenções!

carlos muzilli disse...

Pedro, das lonjuras estamos atentos às suas palavras, bom conviver com o seu belo horizonte, reescreva sempre ainda que fama de bom tenha medo. Abraços poéticos.

Suhelen disse...

o risco de um poema... muitos rabiscos e lá está... surge um cisco e uma lágrima.

o peso de reescrever. a luz do apagar. longe ou perto.

as cores por aqui estão mais lindas do que nunca!!!

bjos com quimeras pra ti!

jucosfer disse...

se o seu pensamento foi pras
lonjuras...
quando o trouxer de volta
ree
screva.
Adorei aqui.beijos

David Miranda disse...

gostei da organização do texto e da interactividade das palavras com a "imagem" do texto.

a vida é como um verso passamos o tempo a tentar reescreve-la e torna-la nossa.

um abraço

Bosco Sobreira disse...

Meu caro Pedro,
Estou em falta com os amigos, amigas. Involuntária, claro.
Espero poder voltar com regularidade.
Um forte abraço.

Lidiane disse...

Que bom que voltou, tautologicamente falando.

Beijo.

Fernanda Passos disse...

rsrsrs. tá procurando moço. já te encontrou na habilidade de lidar com as letras e construir belos versos.

diovvani mendonça disse...

Antes, eu tinha medo em assuntar TAUNALOLOGIA.

Agora, tenho medo nem de magia.

Sonhei:
que eu tinha
um OlhO a laser.
Leitor de
código-de-alma,
que nada "barra" -
e portava também
um coração
de desarmá-las.
....
rsrs

~^^ ~Abraço~^^ ~