quinta-feira, 20 de setembro de 2007

ah! como amo
noitadas rock'n'roll
encher a cara de quaisquer
bebida barata cara qualquer
(que houver).
dizer des-pu-do-ra-da-men-te
eu sou rock'n'roll
"e o meu cigarro apagou,
e o meu dinheiro acabou
"
eu tenho rock'n'roll!
e entre fumaças
as conversas desconexas
, reaprender a readmirar
com pessoas que têm
mesmo diálogo qual você.
rever stuart - peirce.
fazer aquele doido drink.
eu sou do mal, é hora de gritar!
"wop-bop-a-loo-mop-alop-bam-boom"!!!
e contar histórias de rock
janis - jimi - jim
e beatles - stones e etecéteras
elvis não morreu
toca raul
who! who! the who!
ah! noitadas rock'n'roll
embriagar...
e pensar em amadas pessoas.
ouvir canções
erguer o copo em homenagem
a ela
só a ela.
"a sua ausência é todo meu tormento"
ah! noitadas rock'n'rool.
eu sei: eu disse:
"it's only rock'n'roll
but i like it
"
e tome rock'n'roll!...
Pedro Pan, 2007
Há um dedo de prosa logo abaixo...

18 comentários:

Mel disse...

Pedro, mesmo não gostando de rock'n'roll, gostei do seu show!
Hahaha, ficou brega e cafona, mas rimou o que escrevi!!

sayô disse...

ah como é bom fazer o que a gente gosta
:)
" o que existe é pra festejar"
beijos em vc

marie disse...

sabe o que é
sou assim
ouço musicas
de ensurdecer
grito
até emudecer
e ninguém me ouve
pois quem grita
não sou eu
é aquela
escondida
nas minhas entranhas
e saio
e ouço música
e não bebo
e me divirto
escorrengando
dentro
da minha alma
a vida segue
eu fico
o rock eterno
minha alma fraca
o mundo passa
o rock toca
o universo acaba
o rock implode.
eu gosto
quando a batida
fala mais forte
que meu coração
caquético.

Octávio Roggiero Neto disse...

salve, Pedrô!
este aqui é sem dúvida um de seus melhores poemas! ele nos ambienta num ritmo noturno de vozes esparsas, um gole aqui, uma conversa sem rumo, outro gole ali, palavras despretensiosas, olhares, comentários, piadas e rock, muito rock, como não poderia deixar de ser.
um momento de liberdade pra tirar a tensão. prestigiar o som que nos entra mais que pelos tímpanos: nos toma por todos os poros e nos faz vibrar como uma Mizona de baixo. tanto, que nos extravasa. aí não dá mais pra saber se fomos nós ou o copo que transbordou. mas o que importa é ficarmos todos alegrinhos!
tô contigo, meu irmão, senão com palavras, com silêncios!
forte abraço!

Múcio L Góes disse...

me too, me too... rock... on the rocks, cowboy... alcool e poesia, pesoas e versos...

bom Pedro.

[]´s

alex pinheiro disse...

Nss! Pedro Pan, adorei o post leve,,, loko, loko, loko... descompromissado feito o rock'n'roll... Muito bom!
E pra falar bem de verdades eu desconhecia a universalidade do "toca Raul!!!"... hahahah... Um berro proferido no meio de uma multidão assistindo Orquestra Sinfônica,,, hahahah... Mto bom!

Abraços e reveladoras invenções!

Vieira Calado disse...

Oh, homem, eu gosto destas coisa meio malucas, meio sérias.
Um abraço.

Rafaela Silva Santos disse...

Pedro atualizei os meus links e te linkei tá??Posso??rs...Esse fascínio do Rock in Roll só me alcançou a pouco tempo rs.Beijuuuss

Erika disse...

aumenta que isso aí é rock'roll...

beijos

Clóvis disse...

Alucinante poesia...
Fez barulho aqui.


Abraço, poeta.

luma disse...

Pedro, a vida é bela quando estamos em festa!! Ou seria o contrário? (rs*) Bom fim de semana! Beijus

diovvani mendonça disse...

"Vinho"? Eu gosto é do barato... tipo chapinha - rsrs.

Poemas? Os que dão barato - du-bão!!! Assim como os que você
escreVinha.

~^^ ~^^ ~Abraço~^^ ~^ ~^

P.E. Belíssima canção - eu ão conhecia.

Luzzsh disse...

O que toca em minha alma: rock, blues e poesia. Talvez por isso (e pelo talento do escriba) adorei, especialmente, o poema.

Beijo, Pan.

paulo vigu disse...

Plugo um Led Zeppelin agora, até porque não fico sem. No mais Like a Rolling Stone. Riodaqui, aí. Abraço - Paulo Vigu

hemisfério norte disse...

:)
sou a "ex-da-casa amarela"
por mudanças lamentaveis na minha vida n tenho mt vontade de voltar aquele blogue, agora sou hemisfério norte, com PALAVRAS COM CHEIRO.
Obrigada por ter espreitado a casa amarela. bjs

Filipe disse...

A simplicidade do baixo, bateria e guitarra são realmente tocantes - e Hendrix era um poeta emitindo suas rimas sonoras.

Múcio L Góes disse...

onde foi que tu se encondeu, rapá? rsrs

perdido pelos bares de Divi, ne?

:o

[]´s

Daniele disse...

Pedro, D E S P U D O R A D A M E N T E delicioso é ler-te, nessa graça que agiliza a letra e coloca as questões cotidianas!

Adoro a sua escrita,

beijos