quinta-feira, 1 de março de 2007

hoje uns versos cirandavam.
era tanto o que dizer.
que surgiu palavras de ontem
pra recados de amanhãs...
tenho frases presas em
rodapés de papel chamex.
em outras horas agendas,
e por fichários
(pequenos por obséquio)
e em flores de o
jardim, lá de lar.
pássaros criam seus rebentos
lar quintal, onde se fez jardinar
e cantam pra nós, pra lembrar.
pra nos lembrar.
que é centro. que é cidade.
e eles hão ali de passagem.
tem destinos que soam assim.
logo por a matina, um pardal
desfilava em saltos por a
cozinha. e farelava o pão
que há em mesa.
voa passarim. voa bunitim.
Pedro Pan, 2007
Outras histórias
Confiar e acreditar em Pedro... Será que é boa
coisa? Vá saber... Mas sou grato a Diovvani Mendonça
e ao Bosco Sobreira por acreditarem e confiarem em
a minha pessoa, em meus versos... Salve os dois!!!
Dois poetas que tem minha admiração
, antes de qualquer parada...

17 comentários:

diovvani mendonça disse...

Seus poemas, presentes hoje, são também recados, que serão abertos aos olhos, de muitos amanhãs. Abraço.

Erika disse...

Seus poemas são muito bons de ler... a gente viaja... imagina... solta.

Voa passarim.

beijo

dudu disse...

Poemas que sempre revelam a alma...

dudu disse...

Poemas que sempre revelam a alma...

bambam disse...

muito curiosos os verbos "cirandavam";"jardinar"
eu tenho cirandado algumas canções, e jardinado em neu coração-em-botão belos poemas como esse.GRANDE ABRAÇO.

Bosco Sobreira disse...

Cirandaram bem, muito bem, meu caro Pedro.
E não pq agradecer. Apenas prstamos um serviço, uma humilde contribuição para divulgar sua poética.
Forte abraço.

Múcio Góes disse...

aí de nossos beirais, onde já não pausam os pardais...

Bom Pedro I.

[]´s

clarice disse...

e poeta alado voa junto colhendo seus versos.
voa Pan e siga nos alegrando.
beijo meu

Saramar disse...

Hoje falei dos passarinhos que já não hão.
Mas aqui, o passarinho é você.
E voa tão lindo, tão alto, que me perco de tanto ar, de tão livre nestes seus versos.

beijos

paulo vigu disse...

Passarinho farelando o pão no chão da cozinha é simplesmente a imagem daqui. É Pedro Pan feito passarinho
chegando em nossas casas. Riodaqui.Paulo Vigu

ALF O Extasiado disse...

continua poema bunitim continua...

Maravilhoso meu amigo. superando-se sempre.

abraços

Ana disse...

Adoro passarinhos! :)

Leandro Jardim disse...

singelo e belo como a rima!

douglas D. disse...

passarinho farelando pão
imagem boa de sentir.
abs.

Mago disse...

Gosto de pássaros e em pensar que quando criança, alguns adultos tentaram me ensinar a caçá-los com atiradeira estilingue, pobre de mim que tive o desgosto de acertar um, e quando todos sorriram do meu acerto, eu depois de averiguar o pássaro ferido chorei, nunca mais peguei numa atiradeira, não vi nada de divertido. Um grande abraço do Mago!

Ariane disse...

amigo,
seus poemas parecem uma obra de renoir, impressiona e faz sonhar...

belo,belo...

beijos, beijos...

Claudio Eugenio Luz disse...

Tuas palavras, assim como a música, tocam e arvoram outras paisagens.

hábraços, poeta