quinta-feira, 30 de novembro de 2006

em o entanto, ela
em o encanto, ela.
cálida cor, (calada?)
tateia meu pensar, meu amar.
nada pálida. sorrisos.
             só isso.
olhos que jaboticabam-me.
por o vento
desfila minha rotina
e nem me atino
em tons, cores e por de sol
que horizontaliza dali a diante.
Pedro Pan, 2006


uma margarida em photographias

19 comentários:

Múcio Góes disse...

pôr-de-sol
é
par-do-céu

que horizonte belo, Bom Pedro!

[]´s

Márcia(clarinha) disse...

e castanho é esse desejar do amor..sereno
beijosssssssssss

diovvani disse...

"olhos que jaboticabam"
acabam coa gente, nénão?
caba não mundão!

diovvani disse...

Ví todos os capítulos das fotos. Depois, vá lá em casa, fotografar umas pedras. Tenho um ninho delas. Parabens, pela sensibilidade na captura de imagens.

E.T.: não pisei na grama tá?

eduardo disse...

Lindo como sempre!!!

Navegando com o Álvaro Míchkim disse...

wei-wu-wei,eu tenho duas imagens na parede c/os ideogramas chineses de PAZ e FELICIDADE; teus versos têm essa identidade, esse princípio natural do TAO; e especiais tbm são a rima e métrica (já disse antes, né!).
Eu fotografo meu jardim (q/está todo florido) e quintal (q/tem uma penumbra de floresta) todos os dias, com estes meus dois olhos...
Pedro Paulo, Kung-Fú, c/o David Carradine foi uma série de TV dos anos 70; há disponível na NET 2 blocos c/vários capítulos (R$ 55 c/); é mto legal, vale a pena ver!
Abraços.

Mauro Castro disse...

Certas manhãs cinzas de inverno
ouço mantras, óperas, ternos
Sinto o peito ofegar mais lento
Certas noites eu iberno.
Há braços!!

Carol disse...

Oi Pedro, lindo e singelo!!!
Bom pra começar o dia...
Bjos.

Clauky Saba disse...

de certo um poema poente.

Poeta[ ]s

Ck.

ALF O Extasiado disse...

Meuamigo. Amanha 02 de dez venha aprticipar de minha festa no blog. Conto com a sua presença

abraços
;)

clarice disse...

tens um bom gosto no olho e na pureza d'alma, não és poeta, és a própria poesia.
beijo Pan

paulo vigu disse...

O poeta Pedro Pan horizontaliza dali, daquele ponto do horizonte onde o vento desfila também a minha rotina. Será que falamos do mesmo monte? Riodaqui/ [ ]ão / paulo vigu

Bela Lachter disse...

vc lê guimarães rosa, não lê????
bel-jos

Octávio Roggiero Neto disse...

O amor aqui se tateia e se descobre e se reafirma a cada poema!
E você, como sempre, metamorfoseando tudo!
Abração!

Rayanne disse...

Alquimista de palavras.
Eu sempre saio daqui boquiaberta, porquem nos teus dedos as palavras se misturam e escorrem líquidas prá tela, brotando uma imagem singularmente nova. E tão conhecida da alma. Vc esboça, poeta, o que anda escondido por baixo dos olhares e ninguém mais pode.

**Estrelas!**

ALF O Extasiado disse...

Te convido pra festa de meu blog. Está tendo uma farra e tanto. tem muito bolo, bebidas e muita diversão.
conto com a sua ilustre presença
;)

abração

Natika disse...

Coisa linda...pena que não estou em um momento bom pra dizer oq este seu texto realmente merece ouvir...ta lindooo!!

um beijo

Leandro Jardim disse...

SENSACIONAL!
sem palavras
prum comentário ocasional

abraços
Jardineieiros

Juliana Pestana disse...

tons, cores e por do sol iluminas os nossos dias com tuas frases escritas assim... a beira do mar, cheirando a luar.

belo demais. inspiração a sonhar.