domingo, 3 de dezembro de 2006

sereno anoitecer
estrelas de prata
bordam céu de anil.
eu gosto de a brisa quando
anoitece simples, assim serena.
a palavra quando lírica é leve?
leve de aqui tudo que é
de mal. de mal dizer. de mal estar.
ou permanecer. ou ficar.
mal-me-quer bem-me-quer
pétalas? pra quem quiser
já estava neblina, tanto
e frase veio assim.
antes, um cadinho de antes
observava estrelas tropicalizando.
e rodopiava pensamento
agora há pouco.
não era grande, nem pouco.
era de uma lonjura, de
aquela tarde, de aquele dia.
quem sabe, talvez quando.
Pedro Pan, 2006

15 comentários:

Dreamer disse...

o quando é como o talvez se vira em é, sabe?
há petalas demais de margaridas a puxar ainda.

abraços, seu moço.

Mauro Castro disse...

MINHA SENHA (GRITANDO) ONDE ESTÁ, AFINAL, MINHA SENHA. QUERO UMA SENHA, POR DEUS!!!

Mauricio disse...

Grande Pedro,

Poesias sempre lindas. Parabéns.

Múcio Góes disse...

Pétalas ao léu, neblinas, brisas, saudades, céu, até quando, quando?

Bom Pedro.

[]´s

Jane CZ disse...

Belo poema. Tão belo quanto seu nome no blog: "Pedro Pan". Adorei.

l. rafael nolli disse...

Quem sabe, Pedro, meu camarada? Poxa, isso sim é um poema - tem uma metalinguagem duma sutileza: a leveza das palavras, se ficam ou não... mas também é um poema que nada tem de metalinguagem e trata de outra cousa completamente inversa: pois é, isso sim é poesia!
Não sabia que vc também é Mineiro! Abraços!

Leandro Jardim disse...

belos mistérios
como paixões e despautérios
por cabelos e colchões

seu jeito gênio explode todo peito, pedro!

ViSo disse...

A nebula é sempre uma otima companheira e confidente... consegue conjugar adjetivos... sempre entre o leve e pesado..interessante...
abraço

paulo vigu disse...

É... talvez quando! Mas o poeta a pouco, um cadinho antes , observava estrelas tropicalizando. Mas o vento, o vento nobre poeta gosta mesmo é de rodopiar o tudo vivo. Abraço - Viva o talento aqui - Riodaqui aí - Paulo Vigu

diovvani disse...

e quem sabe... talvez quando... você, indo ao Ninho, para tirar umas fotos de pedras. Abraço Poeta.

Bruna Rasmussen disse...

a noite embriagante que nos encanta!!!

beijos

mariana disse...

muito muito bonito, senhorito. rima pobre essa, mas admiração grandona aos seus versos bonitos. grandona como a boniteza dos versos. beijo.

Eu disse...

Hummmm....Layout novo!

Bom demais...

A descrição então, nem se fala.

Eita....que cada vez que resolvo aparecer por aqui,me surpreendo com seus poemas...

[]´s

Natika disse...

Quem sabe...vc parece saber!! Sempre me vejo nos teus poemas...

Adorooo!!

Um beijo!!

Sara disse...

Passando pra dizer
oi

bj