quarta-feira, 12 de julho de 2006

& não posso te privar
de a minha presença
em tuas lembranças
(teus sonhos
, tuas vontades)

10 comentários:

Cristiano Contreiras disse...

só lamento.

Bill disse...

E assim segue...

Otimo dia.

[s]s

Leandro Jardim disse...

fugir de nós mesmos é sempre impossível, pelo menos por muito tempo... pernas-curtas que somos...

abraços com cheiro de mato e
jardim

Sara disse...

Gosto da maneira como tu te expressas. Entrelinhas e a construção do texto em si.
Bj

Caroool disse...

Voce se expressa realmente muito bem.^^
e viva a vida bem pra voce.=88

Claudio Eugenio Luz disse...

Eu acho que esses três ultimos poemas são um só - ou não? - Em todo caso, possuem a mesma temática.

hábraços

Múcio Góes disse...

nada posso, qd quem manda é o coração.

[]´s

Felipe K. disse...

Gostei de conhecer tuas quimeras. Grande abraço, volto mais.

Valéria disse...

a gente quase não pode privar a si mesmo...quiçá o outro né!
beijo avoadô mor

douglas D. disse...

devora a ausência
escarra o
medo -
todas as possibilidades
do que não foi
ou passou
distante de nós -
desenha um céu
de sonhos
e amarguras
(antes que a vida cobre seu preço)