terça-feira, 21 de março de 2006

,porém, o pássaro.
"sôo o pássaro que
arde em tua janela"

quero prever meu estágio
de casulo.
e até alumiar de madrugada.
quero prever.
não ouso grilos falar

6 comentários:

bell disse...

não!
não deixe de falar;;;;
falar...
abobriar....
rs?

bjs*

eduardo disse...

Parabéns;
Seu poemas são muito bons.
http://dudu.oliva.blog.uol.com.br

Valéria disse...

"Quando a dor se aproxima
Fazendo eu perder a calma
Passo uma esponja de rima
Nos ferimentos da alma"
sabe que é isso que me faz sua poesia?
um beijo menino que avoa...avoa...avoa...

ObservadOOr disse...

O Liberdade fez um ano... venho agradecer a todos os amigos que participaram desta inacabada construção. Abraços

Valéria disse...

eiii aquele era um trecho de uma musica do Cordel do Fogo Encantado: ) sisqueci

Claudio Eugenio Luz disse...

Estive ausente curtindo uma alergia. Porém, cá estou. Ainda me surpreende sua maneira de construir os poemas. Coisa igual, nunca li. As palavras parecem sempre ganhar novos significados.

hábraços

claudio