quarta-feira, 22 de março de 2006

não consigo de extremas vivências
as quais todos consistem
desculpa!
meu caminhar é de
pedras e gravetos
e as pedras tem um agosto
agridoce
não permito jazz mais que surrupiem
minhas cores
de o contrário serei
objecto fúnebre.
tudo bem. tudo bem que ganhei
cores dançantes & cantantes
mas basta! gosto de minhas cores
com sabores tão meus.
é uma lenda?
vai por mim : não!
estou rindo sem
para
lelepípedos.

4 comentários:

Marla de Queiroz disse...

Pedro, vc é incrível!
Fico embasbacada com isso que vc faz com a palavra...
Que bom poder vir aqui!
Beijos!

Valéria disse...

ninguém jazz mais surrupiará suas cores, elas são você...
um beijo moço das cores que não avoam de você, mas que colorem...

Clarice disse...

tão doce, tão leve como um passarinho que até tuas pedras avoam. Carinhus

Claudio Eugenio Luz disse...

É o que disse: as palavras podem ganhar outros siginificados e formas diversas para expressar detrminadas situações.Gosto desses deslocamentos.

hábraços

claudio