terça-feira, 14 de fevereiro de 2006

[eu] canto nuvens.
por a janela que
está (star).
eu falo abobrinhas
eu sei.
cato estrelas de as caram-
bolas.
escrevo com a luz da rua.
escrevo com a luz da lua.
[luminescência].

9 comentários:

Claudio Eugenio Luz disse...

Pois é, escrito com essa luz, vamos clarear nossas idéias. Parabéns.
.
hábraços
.
claudio

Valéria disse...

ah menino! que delícia!! gôsto de carambola estrelada me deu sua escrita enluarada...
um beijo de queijo(que queijo com carambola é uma delícia especial!)

douglas D. disse...

a luz da lua; a luz da rua. e as palavras escritas na pele. poesia.

bell disse...

pedro,
escreva em qualquer lugar..
mas escreva,
escreva essas palavras 'soltas"..e deliciosas de se ler...
sempre com um "encaixe" perfeito...

bjs*

eduardo disse...

escrever errante, é o que um bom poeta faz...
http://dudu.oliva.blog.uol.com.br

Dreamer disse...

e eu, com minha mania de escrever estrelas pintadas de abobrinha, vou pra rua. bem me quer a lua.

abraço filhote, o tempo anda consumindo nossas agradaveis ocnversas, mas em breve tudo se [a]normalizará. espero.

ObservadOOr disse...

e a rua, nua, te serve de papiro... e a lua, tua, ilumina cada letra... Abraços

Mariana Arraes disse...

e eu grito aqui que me surpreendo toda vez que passo e vejo teus versos, querido amigo! um beijo pra você!!

111x6 disse...

Parabéns pela beleza e sensibilidade da sua postagem!