sábado, 31 de outubro de 2009

por entres ultimamentes
a poesia
me sumiu.
e não me consumiu
comum outrota.
e dei graça à Deus!
foi uma calma danadiboa.
e eu sorria
sem nada a relatar...
poesia é praga!
Pedro Paulo Pan, primavera de 2009.

6 comentários:

Pedro Pan disse...

"...digo. Esta vida está cheia de ocultos caminhos. Se o senhor souber, sabe; não sabendo, não me entenderá."
João Guimarães Rosa

Suhelen disse...

a poesia por aqui, me rindo, sempre.

danadibão sempre te ler, moço!

beijão

Kanauã Kaluanã disse...

Poesia só se esconde, de quando em vez, para não esquecer que também é menina a brincar solta, sol quando a lua vem... mas ela [dá] volta e se envolve no colo das pontas dos dedos, quando se faz a pino um raio em nós.

Beijos.

Katyuscia.

joel disse...

Boa poesia,gostei de seu blog.
Visite o meu,se queiser comentar
fique à vontade.

Joel.

Paulo Viggu disse...

Acalma mesmo. A calma daqui é "danadiboa" - Abraço, irmão - paulo viggu - Desça o rio.

clarice ge disse...

dos ocultos caminhos só sei que existo-os...

será que a poesia some?
ela dá trégua, acho...
fica a espreita... e pode até dar o bote sorrindo...
beijo Pan