segunda-feira, 17 de março de 2008

anotações didáticas
em meio de o dia, horário de 
brasília. o tamburete sentava
em tua sombra.
sombrancelhas pontiagudas
fazem ligações de um olhar
a outro.
pequi é uma repetição de
amarelecer.
retas ao zigue-zaguear
é pretexto.
sábado quase fez uma semana
de domingo.
cair é um gesto que tomba
para depois levantar.
frio, frase que treme.
tremer, o mesmo que balançar
com medo.
amor, dor de cabeça, coração...
dor em as emoções.
adoçantes? pessoas que melam
nosso hoje antes.
memória? contos que estão
rabiscados em o passado.
Pedro Pan, desdatado.

33 comentários:

Pedro Pan disse...

"Eu estou depois das tempestades."
Guimarães Rosa

Vieira Calado disse...

Venho desejar-lhe Boa Páscoa.
Um abraço

Márcia(clarinha) disse...

Tão bom fôssemos todos desdatados, misturando assim presente e passado numa orgia da MEMÓRIA.
dias lindos pedropoetinha
beijos

Darlan disse...

Saudades de suas palavras. Sempre.

você não é fácil de ler. rs

Abraço.

Camilinha disse...

gostei demais!!!

mineiro vegetariano desdatado? Prazer em te conhecer!

beijos daqui...

* hemisfério norte disse...

deleito-me com a sua escrita.
obrigada por a mostrar
bj
a.

dudv disse...

Belo poema!!!

Navegando com o Álvaro Míchkim disse...

Pedro, obrigado pelo alô! Férias se foram mas serviços não vão mais, só vem... e como sobrecarregam o peso do corpo;
Enfim, mais uma vez obrigado e abraços tbm!

casualeblog disse...

Muito subjetivo o de hoje...

Suhelen disse...

cair é um gesto que tomba
para depois levantar.


essas anotações estremecidas me balançaram hoje.

uma beijoca destes lados de cá.

=*

Lidiane disse...

Pedro, poesia é atemporal, e mesmo a sua, que fala dos dias sem data, sempre vai ser poesia. Gravada pra sempre no *seu* tempo, o tempo do Pedro, o mesmo que passa e você desconhece.

Um beijo e que bom que voltou.

Mariliza Silva disse...

Fala aí, Pedro - O poeta degustador de letras (não perde uma!)rsrsrs

Desculpe minha ausência, mas ando ausente até de mim mesma!

Beijos e Feliz Páscoa

Mariliza

Rubens da Cunha disse...

bom de dizer em voz alta esse teu poema.

Octavio Roggiero Neto disse...

olhos perdidos no fim da paisagem, como pedras lançadas no vago. pra quem vê assim, o azul, por mais azul que seja, é lilás.

meu abraço de irmão!

Jucosfer disse...

entendo...

sayô disse...

palavras
de
pedro
pan
palavras
que passeiam
pelos meus olhos
e encantam meu ser!
bom ler vc pp

Anne Baylor disse...

Ei..
Bacana demais.
Se me pedissem um texto parecido com esse, nem saberia por onde começar!!!
Obrigada por aparecer no meu blog.


BeijoS

Rayanne disse...

Ótimo.

Desdatado, mas admirado.

saudade daqui.

**estrelas**

alex pinheiro disse...

Tempestades essas que são boas de tomar, rs
...
Essas anotações me lembraram site de relacionamento e suas frases de efeito, hahaha
Bom, adoçou minha tarde cheia de gente querendo abandonar a blogosfera, rs

Abraços e humoradas invenções!

Ana Gotz disse...

Saudade? De tudo que ainda não vi e vivi...

;-)

Imcompreendida disse...

"cair é um gesto que tomba pra depois levantar"... ficou filosófico... rsrsrs

Lidiane disse...

Pedro, eu tinha certeza que havia comentado aqui.
Certeza mesmo.
SErá que o blogspot tá doido?
:(

Beijo.

Juliana Caribé disse...

E eu estou nelas!

Adorei os jogos de palavras!

Beijos.

clarice ge disse...

se cair é preciso pra levantar
eu amarelecida
vou creditar
quero não ser
nem pré nem desdatada
pra vislumbrar
quero sómente aqui
ou adiante
quem sabe
acolá

carinhos meus pra ti Pan

Bárbara (B.) disse...

Saudosismo extremo?
Temos nossos momentos, não?

Grave sim, seus textos. Acho que ficariam no tom do blog. Lindos!

Beijo meu.

M. disse...

pedropoetinha
chega de saudade, cansei!
dias lindos,
beijos
Márcia(clarinha) agora M.

Múcio L Góes disse...

salve, Pedro Pan, hoje e amanhã!

[]´s

Mary disse...

e vamos aprendendo... :)

adorei as anotações, pp!

beijos

* hemisfério norte disse...

Olá
Eu venho convidar a visitar e se possivel deixar seu comentário - sempre importante - o espaço:
http://miniminimos.blogspot.com/
obrigada
bj
a,

..::Andressa::.. disse...

Poesia pra se pensar... bom, muito bom.

Rafaela Silva Santos disse...

Esses rascunhos que mostram mais do coração do que a alma...até parece que amar e sofrer são lados da mesmo moeda.Escrevi sobre isso esses dias.Beijuusss

Mago disse...

"Memórias: contos que estão rabiscados em o passado" Acredito que sou então um biblioteca ambulante! Um grande abraço do Mago!

Dora disse...

Desdatado? Eu estou aqui sem saber que fim levou esse Pedro...
Está desdatado mas, cheio de dizeres "rosianos" de uma belezura que só!!! Eu gostei desse: "adoçantes? pessoas que melam nosso hoje antes..."
Eu vim "melar" aqui essas anotações didáticas, com saudade desse jeito "fragmentado" da sua poética!
Um beijo( que não tem hora marcada) prá você!
Dora