sábado, 12 de janeiro de 2008

em guardanapos ébrios
teu nome, telefone. endereços...
e-mail, celulares.
e a marca de teu batom.
o mesmo que me beijaste.
Pedro Pan, 2007
meu sorriso amanhecia
por você.
alguém pregava nomes
em a cristaleira.
e se não houver vhs pra contar
a história?
como não há
polaroides descrevendo
infância...
Pedro Pan, 2007
hão dias
quais me acordam com versos
de poemas prontos inacabados
cabei de crer
tem verso quié
cor quinda flor.
Pedro Pan, 2007
Feliz 2008!
Ah! publiquei sobre Henriqueta Lisboa
no
árvore dos poemas. Quem quiser conhecer
esta poeta e mineira, diga-se de passagem...
Pan no
Orkut.
Pan no
Last-fm.

38 comentários:

Pedro Pan disse...

"O senhor sabe? Já tenteou sofrido o ar que é saudade? Diz-se que tem saudade de idéia e saudade de coração"
João Guimarães Rosa em GS:V

Erika disse...

aleluia, a volta.. rsrs

tava morrida de saudade de ler... em guardanapos ébrios as letras bebadas deste blog de teias.. rsrs

beijos e mondisaudades

"Oncotô? (Erika)"

Lidiane disse...

Pedro, às vezes o que resto do amor é o guardanapo.
E, às vezes, é esse o começo.

Vou agora na "árvore".

Beijo e que 2008 seja um deslumbre de bom.

jucosfer disse...

gosto daqui.
gosto de seus escritos.

* hemisfério norte disse...

obrigada pela sua visita e bom ano pr vc

retalhos

escrevia no jornal
no guardanapo do café
no verso do post-it
no talão do mercado
no extracto bancário
na areia da praia
na palma da mão
no tampo sanitário

escrevia frases fingidas
recados engravatados
e palavras mutantes
de sufixos inúteis
escrevia inícios sem fim
de fins sem inicio
sem pontuação
e sem intenção

escrevia diálogos
escrevia receitas
escrevia retalhos

a.

Suhelen disse...

uma dose de café e uma xícara de cachaça. já!

sorrisos que anoitecem viram constelações inteiras de infâncias nas manhãs seguintes...

e os versos inacabados nem precisariam sequer terem se iniciado...

bjos e bom ano pra gente!!!
=]

Márcia(clarinha) disse...

Sorriso amanhecendo por[para]alguém...delícia pedropoetinha!
carinho meu em todos os dias,
beijos

Mel disse...

Pedro, que bom que voltaste para nos deixar poemas lindos assim!
Seja bem-vindo e um feliz 2008!
Beijo, Mel

dudu disse...

Poemas que elevam, gostei muito!!!!

Vieira Calado disse...

Registo com agrado estes apontamentos poéticos da vida moderna que todos temos.
Um abraço

Navegando com o Álvaro Míchkim disse...

Peter Pãn, saudades em ouvi-lo. Seus versos continuam ótimos e com a mesma identidade; Já o meu gato é um texto sub-liminar (volte e eline o gato.....); Okey!?Abraços.

mary disse...

Eu tentei comentar antes, mas não sei se deu certo...

Adorei o primeiro! Achei a minha cara... :)

Beijos

Filipe disse...

Sabe rapaz... lendo seus poemas lembro que tenho uns haikais perdidos por aí, caso encontre eu posto lá no Displicência. Grande abraço!

alex pinheiro disse...

O poeta que voltou pra falar da vida,,, nas minas.
Bom te ler denovo, embora sempre fique a sensação de travessia sem fim, rs

Abraços e belíssimas invenções!

Dedinhos Nervosos disse...

É sempre ótimo guardar as marcas de batom. Quando os beijos deixam.

Joaquim Amândio Santos disse...

o que é o conhecimento?

visão directa do corpo e da atitude?
prolongado caminho nem que condutor à saturação encapotada?

Vivência superficial feita de fait-divers e não de curiosa partilha sem hora nem condicionalismos marcados?

Será assim tão impossível iniciar o conhecimento na distância? julgo que não e defendo tal desiderato.


EIS A MINHA HOMENAGEM AOS BLOGGERS, ESSES INCANSÁVEIS CRIADORES DE LAÇOS!

Joaquim Amândio Santos disse...

o que é o conhecimento?

visão directa do corpo e da atitude?
prolongado caminho nem que condutor à saturação encapotada?

Vivência superficial feita de fait-divers e não de curiosa partilha sem hora nem condicionalismos marcados?

Será assim tão impossível iniciar o conhecimento na distância? julgo que não e defendo tal desiderato.

Rafaela Silva Santos disse...

Sempre guardamos algo nos guardanapos da vida....bom começo de ano atrasado.Beijuuss

Aerodrama disse...

Muy buenos escritos...

O tempo está passando, o tempo está passando, devora-me aos poucos, devora-me por pedaços....

Voltei com meu blog, quando quiseres de uma passada por lá.

Grato,
Cassiano.

..::Andressa::.. disse...

Olá! Estou surpresa, sabia?
Há um tempo conversava com uma amiga sobre a falta de blogs decentes... mas outro dia achei um e depois outros atraves deste..maravilhosos! Entre eles estava o seu!

Estou montando uma seleção de blogs pra indicar no meu... se nao se importar, vou colocar o link do Por Quimeras no meu.

Abraços!!

Clóvis disse...

Dessas frestas que você nos deixa, imagens e movimentos, pequenos-grandes roteiros, é bom te ler e tão bom quanto é ver essas tantas ações.

Abraços.

Múcio L Góes disse...

por que mares,
ou meros bares,
por que lares,
Bom Pedro,
andarás,
e se andares,
por que mesas,
por que bares
tem ecoado
teus cantares?


;)

Bárbara (B.) disse...

Boas vibrações pra ti este ano, belo poeta. Adoro tua arte.

Beijo meu.

Jacinta disse...

Gostei da repetição Pedro Pan, Pedro Pan. A mim, sugere um auto acolhimento. Bonito de ver e sentir.
Um abraço
Jacinta

Valéria disse...

puxa! estava , tb eu, com saudade!
um beijo moço

Temporal disse...

Por que as pessoas na sala de jantar?
Prefiro a varanda...

Lua disse...

Gostei de conhecer a Henriqueta. E o teu blog também. Bjos

Suhelen disse...

já tinha te lido, uma vez esta outra vez aquela...

risos... muitos risos.

e beijos abraçados pra ti.

Nandinha... disse...

olá... fiquei meio perdida por aqui...

Saramar disse...

Menino Pan, onde andas?
Perdeu-se nestes guardanapos de amor?

beijos, saudades

Daniele disse...

Pedro, desculpe-me a ausência, estive fora por motivos de força maior, mas já estou retornando e venho me deleitar com seus versos singulares, com a sua fina escrita.

beijos meus,

Rafaela Silva Santos disse...

Engraçado Pedro há dias que tb estou cheia de poemas inacabados,parecem labirintos e quebra-cabeças que vou percorrendo e ajuntando um a um,até se formar o verso.Beijuuss

Leandro Jardim disse...

sempre bons os pan-poemetos!
:)

Rubens da Cunha disse...

excelente tua linguagem. algumas desestruturas que fariam minha professora de grámatica gemer de dor, mas a de literatura gemeria de prazer :))

abraços
Rubens

Mago disse...

A saudade é a memória retida na retina do observador, antes que aluz se apague, antes que o sol se ponha, reviveu num relâmpago o flash back de sua propria vida.
Seus poemas continuam ótimos, e inebriantes. Um grande abraço do Mago!

Mago disse...

Guimaraes Rosa, um dos melhores escritores Brasileiros, tudo de bom e você está cada vez melhor irei conferir depois a arvore de poemas . Um grande abraço do Mago!

sayô disse...

"[...]a saudade
é um filme sem cor
que meu coração quer ver colorido[...]" Zeca Baleiro

Anne Baylor disse...

Oii..
Que bacana isso aqui.
Um jeito muito gostoso de escrever e ler.
Gostei de ler.

Prazer em conhecer.

BeijoS.