segunda-feira, 13 de agosto de 2007

remendei um poema
qual fiz assim, gripante.
fazia tons em espirros
em atchins.
era algo assim, palhaçante.
ontem a tv desliga solitária.
bem nem sei, se ela queria
ver-me ou não.
descansado em azulares.
Pedro Pan, 2007
sábado, esqueci
sabor de tuas lágrimas
Pedro Pan, 2007
voltando aos poucos...
(em a travessia)

Tem Bergman em Souvenir letal.

25 comentários:

Claudia Perotti disse...

Eu devoro as tuas letras! Adoro!
Beijinhossss

diovvani mendonça disse...

Então tá... é a TV que V a gente. Bunito, Pan, muito bunito... dá vontade, de nem desligar suas imagens. ^^^Abraço^^^

alex pinheiro disse...

Travessia estende-se em dias que preferimos descansados em azulares...

Abraços e poéticas invenções!

eduardo disse...

Muito lindo, adorei!!!

marie disse...

domingo lembrei,
o peso de minhas dores.

Erika disse...

Saúde!

(adorei o banner)

Beijos

Márcia(clarinha) disse...

que sua volta seja em novos tons e sons suaves sem atchins..
feliz eu por você pedropoetinha,
beijos

Edilson Pantoja disse...

Volte, ainda que aos poucos. Teus remendo rendem lindas colchas.
Abraço!

Bosco Sobreira disse...

Voltando em companhia de sua boa poesia, meu caro Pan!
Forte abraço.

Saramar disse...

Menino de sonhos, mesmo assim, cheio de atchins, nada há mais tocante que seus versos.
Lindos!

beijos

clarice ge disse...

pincei palavras abotoadas em meio a atchins e as recolhí para mim:
remendei (o que)
esquecí (porque)
voltei (aqui)
(seria saudades de ti?)

bela imagem sempre
beijo meu

THiago RangeL disse...

engraçado...
vejo pontos de uma vanguarda modernista do início do século passado

auahu vou adicionar você...
abraço

Janaína disse...

amigo pan.
esses azulares dias de conversa, são dias sem espirro. acredite, não tenho rinite nesses dias de msn.
Beijos meus e agora teus.

Navegando com o Álvaro Míchkim disse...

É isso aí menino eterno, versos em balas estridentes estampidas pelo canhão do navio do Sr. Capitão de uma mão só!
E de fato as senhoras de cabelos brancos não só mais sobrevievem que os homens como tbm tem muito mais a nos compartilhar.... pelo menos apendi +- assim, pq tive um nono de noventa! (e nos trinques!).
Afinal, toda regra tem exceção!....
Abraços.

Lidiane disse...

O seu voltando aos poucos tem tudo a ver com o layout novo.

Bom ler você de volta.

Leandro Jardim disse...

saudade de vir aqui bebericar desses belos versos!

Oswaldo disse...

belas palavras : palhaçantes, azulares...e as minúcias de seus poemas!

Mel disse...

Pedro, passo depois com mais calma para melhor admirar tuas palavras. Beijo

Múcio L Góes disse...

Pedrón voltou voando, e nos pondo a par, sobre vôos.

[]´s

Carol Rodrigues disse...

não volte aos poucos, volte 'aos muitos'
:o)

Clóvis disse...

Sempre envolventes os seus versos...

Muito bom, poeta!
Muito.



Até.

Raquel disse...

Olá!!!
Vim conhecer seu blog, adorei!!
Voltarei........
Um ótimo fim de semana!
Beijos

Élcio disse...

como remendado s nossos sentimentos por vezes...rs

É isso ai.
[ ]´s e otima semana.

Saramar disse...

Lindezas, sempre!
Lágrimas foram feitas para esquecer, guardando espaço par aguardar sorrisos.

beijos

Filipe disse...

Me identifico com os versos alérgicos, tão contudentes quanto as caixas de lenços deixadas no meu chão.


E volto aos poucos também.