domingo, 20 de maio de 2007

recolhi imagens de o
meu olhar. restos de
imagens. imagens soltas
ao tempo.
previa uma mensagem.
e só sei de fazer rabiscos.
Pedro Pan, 2006
em aquela noite veio
tão rápida, nem tive
tempo pra te fazer um
sorriso, amarelo que fosse.
Pedro Pan, 2007
e os pardais estão 
a brincar
com o meu ouvido.
atenção!
Pedro Pan, 2007

25 comentários:

lili disse...

as palavras podem não dizer o que o coração, sente mas fazem sentir o que o coração diz

um beijo

Mário Liz disse...

essas letras tem vida. Algumas vogais até sairam da tela do computador pulando feito aranhas comedoras de mosquitos. O problema é que sem óculos, eu as matei pensando ser deveras várias aranhazinhas ....rs...

Um grande abraço ... carpe diem

marie disse...

a noite não me visitam mais
nem mesmo pesadelos
quem dirá
amores.

Erika disse...

Visitas rápidas.. sorrisos amarelos.. rostos soltos no tempo..

Sonhos de uma noite de outono?

Beijos

Márcia(clarinha) disse...

Tenho atenção aos sons que fazem sua poesia e sorrio branco de alegria...
semana linda,querido
beijosssssss

Paulo Vigu disse...

Imagens noites e pardais revelam os versos de Pan. Riodaqui aí.

minina disse...

a gente e o mundo é uma problemática séria... principlamente qdo esse "o mundo" somos nós mesmos...
só sei q moro na serra e aqi ainda se ouve mtos pássaros a partir das três da manhã, cantarolando deseperandamnte... trilha sonora para sonhos tresloucados... ehehehheh

xeroca, té!

Mel disse...

Pedacinhos de delicadeza... Adorei!
Beijos

Janaina Staciarini disse...

Poemas sonoros, lindas imagens nos vem à mente.
Beijos.

Sayô disse...

prever pra que?
melhor ESCREVER O QUE VER.
o começo tá no rabiscar, tá no juntar de imagens, imagens soltas ao tempo...

Li algo que Nuno Júdice escreveu :
"Nunca são as coisas mais simples que aparecem quando as esperamos. O que é mais simples, como o amor, ou o mais evidente dos sorrisos, não se encontra no curso previsível da vida. Porém, se
nos distraímos do calendário, ou se o acaso dos passos nos empurrou para fora do caminho habitual,
então as coisas são outras. Nada do que se espera transforma o que somos se não for isso:
um desvio no olhar; ou a mão que se demora no teu ombro, forçando uma aproximação dos lábios."

beijo em vc Pedro
Boa semana

Filipe disse...

colagens da vida

diovvani mendonça disse...

"Te fazer um sorriso". É o mínimo que posso: fazer-doar, a você meu caro por tudo que és e por tudo que fazes com imagens e palavras.
Sensibilidade a flor do olhar.
Bela-bela-bela!!! A nova imagem do "template" (é assim que se diz?). Um abrAÇO, dum palhAÇO, com AÇO.

eduardo disse...

Fragmentos poéticos e épocas diferentes. Gosto disso.

Bosco Sobreira disse...

Não é verdade, meu caro Pedro. Não são rabiscos, mas uma escritura carregada de pura poesia.
Aproveito para comunicar meu novo endereço:
http://boscosobreira.com/
Forte abraço.

Sara disse...

lindo lindo.
como sempre.
bjs

Tanara disse...

é gostoso de ler e ouvir Pedro Pan...

.

clarice ge disse...

imagem versa
chorando pressa
clama atenção

beijo querido Pan

Octávio Roggiero Neto disse...

três flashes, imagens soltas, fragmentos de memória. veloz é também a noite irreversível que nos deixa um esboço de sorriso (rigidez cadavérica) e algodãozinhos no nariz. fazer arte é preencher de vida os dias. você é um arteiro, Pan!
abração e té mais ler!

Octávio Roggiero Neto disse...

três palhaços, três poemas... acho que tem algum significado por trás disso que agora me foge à inteligência.
mistééééééééério!

Octávio Roggiero Neto disse...

errata: em algodãozinhos leia-se "algodõezinhos".

Valéria disse...

pássaros te voem...
beijo

Rayanne disse...

"Veio tão rápido que não deu tempo de fazer um sorriso, amarelo que fosse." Isso é de uma delicadeza fascinante. E você, forte e doce de tal forma que eu não tive tempo de salgar as lágrimas. **Estrelas**

alex pinheiro disse...

Ow amigo blognauta esses três momentos lembraram mesmo uma psicografia... Eu faço disso também,,, já dei poemas pra versos orfãos, e eles formataram belos poemas diga-se de distância considerável...

Abraços e desamparadas invenções!

alex pinheiro disse...

Ah, me fiz portador do lapso de memória, mas volto pra comentar a imagem do blog!!! fantáaaaaaaaaaaastica!!!!

Abraços e fantásticas reproduções!

Bosco Sobreira disse...

Volto em busca de novos poemas, e, na falta, me quedo por aqui relendo os anteriores, renovando a emoção...
Meu caro, vc. faria o favor de atualizar meu endereço?
http://boscosobreira.com/
Forte abraço.