quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

chuva de a minha janela
é azul - água e aquarela.
volta e meia
meia e volta
há um guarda-chuva
se
es
correndo
Pedro Pan, 2006

hoje, ela veio acontecer
em meu sono.
há tempos não era.
relembro, relendo
saliva neblina.
ouço teus olhares, que
lágrimas escorregam.
por a minha falta
que seja, mentira.
que seja, ilusão.
pois não quero eu, derramar
tuas lágrimas.
Pedro Pan, 2006


Feliz 2007!

14 comentários:

miixa disse...

olá...
desculpe pela ausência, mais estou aqui novamente saboreando suas docês palavras as quais me sinto tão bem lendo...
Um feliz 2007,muita paz....
bjos

Leandro Jardim disse...

Poemas cheios
de recheio e cheiro
daquela doce hortelã
de Pedro Pan


Um 2007 digno de confete!!!

eduardo disse...

Feliz Ano Novo!!! Belo poema!!!

Márcia(clarinha) disse...

necessito que esgueirem por minha janela, careço de chuva quente aquecendo meu coração e de versos como os seus abrindo meu sorriso.
linda noite,querido
beijosssssssss

ALF O Extasiado disse...

então, feliz ano novo hehe.
um 2007 belíssimo e repleto de vitórias.

Sucesso meu caro.

abraços
:)

diovvani disse...

Bom que aqui a p-o-e-s-i-a não pára de comover. Abraço.

Múcio Góes disse...

teu blog é minha janela, meia volta vou ver!

feliz 2007, queridao!

[]´s

Keila Sgobi disse...

olha lá
que foi-se'mbora

paulo vigu disse...

Salve irmão Pan - Curto Férias e passo aqui feito um avião de papel no vento. Ensina-me a técnica de ouvir olhares. Parece que a "Menina do sonho" te acordou! 2007 vem vindo ali. Riodaquiaí leva água boa de rio. Coração tranqüilo. Paulo Vigu

Sara disse...

Passei pra te deixar um beijao e abraço de ano novo.

Bruna Rasmussen disse...

está lindo!

adoro suas poesias, menino! :)

bom 2007 pra ti também!
beijos

Navegando com o Álvaro Míchkim disse...

Criança Grande, sempre ótimos e inspirados seus versos são; Feliz 2007 p/vc tbm. Abraços

Sandra Regina de Souza disse...

Passando pra desejar um novo ano recheado de versos... Feliz 2007!!!

Octávio Roggiero Neto disse...

ler seus poemas cria sotaque nos olhos meus e nos dedos!