quinta-feira, 31 de agosto de 2006

não provoco reticências...
procuro uma folha.
photographo teus nomes
em minha pele.
em auto-relevo.
auto-revelação.
(graphei um cd com as cantigas)
não sei de cores.
as poses, os closes.
havia nomes
em as minhas mãos,
alguns voam em
vendaval.

18 comentários:

ariane disse...

adoro seus jogos com as palavras e seus versos, revelam sensibilidade , doçura, bom humor...
todos belos!
beijos paralelepipéticos :)

eduardo disse...

Sempre queremos nos marcar com os nomes das pessoas amdas... adorei...

Múcio Góes disse...

belo poema em auto-revelo, com cantigas e fotos ao fundo.

é Pedro.

[]´s

diovvani disse...

Quando passar o vendaval, quem sabe pousem; n´algum varal, do meu quintal.

Bruna Rasmussen disse...

excelente poema!

fotografias e relevos.. :)

beijos

Mendoscopia disse...

E como desgravar a fotografia já revelada?
:)

Marcia

Keila Sgobi disse...

tenho 26 de roda
7 e 7 são 14
numa mão não tem nenhum
nem na outra, nem no braço
empresta um grapho para mim?

Rayanne disse...

Ah, os nomes gravados na face interna das cores!
Ah, os amore guardados na solidão dos valores!

**ESTRELAS*

Clauky Saba disse...

não provoque as reticências...

tudo o que fizeres a elas voltará tres vezes...

poetabraços


Ah! adorei a Sala Fellini!

Leandro Jardim disse...

CARA muito bom...
esse e o anterior!

Você não perde a verve
Feliz dos versos
Feliz da febre
em nada amarela
ser poeta
é amar ela
a cada dia
a bela poesia

abraços jardineiros!

Gabi Ribeiro disse...

Tu escreve!
amei teu 'poema'!Você sabe joga com os significados das palavras muito bem!
Eu acho isso dificil - pelo menos pra mim - fazer este jogo de palavras num 'poema',principalmente em um poema. Eu escrevo mais histórias. É muito de momento (as vezes até uns inoportunos, como quando eu estou em semana se provas), vem a idéia e eu começo a escrever...
Vou parando por aqui, outras pessoas também vão querer comentar, né?!
BjoO,
Gabi

Luzzsh disse...

Oi Pedro,
Esse seu texto me fez descobrir que, parando pra pensar, eu tb tenho nomes dos mais variados....acho que todos, não?....Belo.....Beijo.

ALF O Extasiado disse...

E assim quem fica nas reticências sou eu...

Que jogo de palavras hein.

falou

Paulo Vigu disse...

Sem provocar reticências ... vejo as coisas em suas folhas - Riodaqui leva abraço - Paulo Vigu

Claudio Eugenio Luz disse...

Alguns precisam ser gravados no fundo, bem rente ao coração, caso contrario, na primeira tempestade desgrudam e se afastam de nós.

hábraços

Octávio Roggiero Neto disse...

Sim, Pedrão, provoca reticências sim, e isto é a maior prova de que você é poeta, e poeta perspicaz, diga-se de passagem; poeta que sabe das reações de seus leitores, e por isso constrói o verso conforme as sensações que pretende produzir em nossos olhos esfaimados de Poesia.
Aquele abraço!

Hermes Bernardi Jr. disse...

Gosto de passar e ler o que escreves. E tudo que escreves vai ficando... se ajeitando ou desajeitando pensar a vida.

Abraços
H

Mary disse...

Pedro e tuas provocaações...

Lindo demais, uai! :)

Adoro.

;**