quinta-feira, 3 de agosto de 2006

ela havia de voz sincopada
, de dizer
pe-dro
me alegrava o sorrir ao ditar
algumas palavras, mesmo que desconexas
em o fim de o anoitecer.
assim. simples e bela em a minha
noite mal trapilha.


a corte de o bobo
photographia com ph

12 comentários:

Sara disse...

q ótimo.
bjs
bela quinta

Leandro Jardim disse...

essa noite trapilha foi á muito boa!

Keila Sgobi disse...

ai...

naum sei...tah confuso!

Cristiano Contreiras disse...

Quimera.

Rayanne disse...

Que algumas imagens ficam bordadas prá sempre.
Estrelas.

Clarice disse...

o simples pronunciar de nosso nome por vezes afaga.
tem sílabas que soam como uma carícia.
beijo Pan

Luzzsh disse...

Simples....ah, na maioria das vezes a simplicidade é tão maravilhosa, não?....achei belo, querido amigo. Beijos e bom fim de semana.

Ariane disse...

simples e bela...
amigo, assim parece ser sua alma....
palavras desconexas também trazem muito sentido!
beijos

Claudio Eugenio Luz disse...

Meu caro, estou meio down, por isso, não se preocupe com as minhas palavras. Nunca é demais lembrar, jamais somos bobos na arte de cortejar.Belissimo poema!!

hábraços

bruna maria disse...

Palavras (nem sempre) desconexas. Falam muito mais do que supomos. Um beijo!

Paulo Vigu disse...

noites maltrapilhas - dias tortos - almas desconexas: são ingredientes poéticos, ferramentas bem usadas aqui. Pedro - o spaces está indo pro espaço e o riodaqui tá meio represado - to pensando em mudar de canal, já que eles(do hotmail) me forçam a isso.Saudação

Dreamer disse...

Meu camarada,

Do Front ainda sob fogo cerrado disparamos algumas palavras desconstruídas até que cesse essa noite maltrapilha de sonhadores esfarrapados.
grande abraço.