quarta-feira, 28 de junho de 2006

 não me escombro em 
o poema
, eu mer
gulho
em o poema.




tem dia que é bom mudar os móveis de lugar.
& verde tão bem sai de férias...

13 comentários:

pedro pan disse...

, pan pan pan pan...

Mary disse...

Móveis fora do lugar!
Um novo ar pra quimerizar!

Adorei. ;)

Leandro Jardim disse...

Isso, mergulhos em re-nova-ações!
Tá de para bens!

Há braços seus aí
Abraços meus daqui

Leandro

Keila Sgobi disse...

Lindo Lindo!

Se esconde no poema?
Se orgulha do poema?

Valéria disse...

eu gostei muito! e não encontrei palidez...cor é algo muito relativo ou mais...cor vai além da cor que colore... cor pode estar no que colore...
a cor está em mergulhar no poema...
beijo beijo

Lubi disse...

Diferente, bonito: gostei.
=P

Múcio Góes disse...

"tudo dança
hospedado numa casa
em mudança"

[]´s

Bom Pedro Primeiro.

Claudio Eugenio Luz disse...

Retorno e o que encontro? Um visual novo, clean. Ora, meu caro, os poemas continuam tinindo atraves das palavras - quase querendo levitar.

hábraços

clarice disse...

É preciso mexer o movimento para sacudir o estado. A cor ama o branco e preto onde pode e misturar-se inventar-se.
Muito bom mudar os móveis e feriar.

PS:mudar móveis (dos outros)era minha profissão, literalmente!Fiquei viciada dela...

Cristiano Contreiras disse...

interessante!

eduardo disse...

Nossa... excelente.

Senhora D. disse...

sim. poesia é vida. lindo e classudo este template. beijos.

Crustáceo disse...

Enquanto forem poemas, direi que esse mar é mar avilhoso. Não há necessidade de saber ao certo de onde vem, eles falam por si mesmo e têm vida própria. Embora um siri só consiga ver pela superfície, continuará tentando entender essas ondas. Continue mergulhando!