domingo, 4 de junho de 2006

não [des]esperar
,vôo - ser me ler.
me ter em olhos
de lástimas.
até assim
,gripho algumas
palavras em o acimentar
em o acinzentar.
até vôo - ser me ver
precaver
haver
há o ver
par'algo ler,

14 comentários:

Nanna disse...

Li[n]do isso aqui.

Beijos!

carlos muzilli disse...

Pedro, gripho: aqui ei de estar.Abraços poéticos.

Keila Sgobi disse...

há?
há?
há???

há,
mas não consigo pensar! :/

eduardo disse...

Poema brilhante, adorei o seu outro blog.
http://dudve.blogspot.com

Leandro Jardim disse...

Ah... Há... e Pá!Lavras!

muito bem, meu caro!
abs

camila disse...

vc tem um jeitinho único de escrever. é sempre bom ler algo original.

Claudio Eugenio Luz disse...

Por aqui, é assim: seja onde estiver, a leitura sempre um voo rasante sobre.

hábraços

Claudio Eugenio Luz disse...

Por aqui, é assim: seja onde estiver, a leitura sempre um voo rasante sobre.

hábraços

Claudio Eugenio Luz disse...

Desculpe-me pelo post duplo.

Clarice disse...

vou farfalhar
asas cansadas de cinzas
buscar ventos alaranjados
sugar ar puro
lá pros lados
das brisas marinhas
guarda meu carinho

Clarice disse...

vou farfalhar
asas cansadas de cinzas
buscar ventos alaranjados
sugar ar puro
lá pros lados
das brisas marinhas
guarda meu carinho

Múcio Góes disse...

ar de se espelhar
no acinzentar dessas
nuvens que nos cercam

ar
isso há
de ser

[]´s

Aline disse...

E há o sempre ser.

Bjo.

Mary disse...

Lindos vôos... :)