segunda-feira, 19 de junho de 2006

existem folhas resguardadas
como se relíquias.
&
o ventar não
te lambe em as páginas.
tu
dançarina distraída sob o
ventar de as folhagens
aceita mais café?

11 comentários:

Múcio Góes disse...

por relíquias
que pareçam,
as dançarinas,
inda assim bailam,
ao som dos ventos.

[]´s

Aline disse...

Sensualidade no bailar.

:**

eduardo disse...

Poema lírico e original.
http://dudu.oliva.blog.uol.com.br

Dreamer disse...

o vento venda meus olhos com poeira dedias comuns.
que ele me lamba as vistas.

abração, seu moço.

Nanna disse...

[baile-dourado!]

Beijinhos!
:))

Clarice disse...

cena musical
de folhas
ao vento
envolvendo
a bailarina

carinho meu
no teu poetar

Rayanne disse...

Me lembra borboleta.
Tão efêmera quanto unânime
E o vento que baila a ilusão
pode lember o chão
com as asas.

Estrelas.

Valéria disse...

o dançar transforma dançarina em folhas em o vento...
ela tem dança pelas ventas...
beijo

Edilson Pantoja disse...

e relíquias bem guardadas o vento não leva, certo?
Abraço!

Claudio Eugenio Luz disse...

distraidamente, dançando.Imagem forte, meu caro.

hábraços

Mary disse...

o ventar sempre leva as folhas... :)

Bjus.