terça-feira, 28 de março de 2006

mesura de poema



feche os olhos
e o poema veio
de leve
leve
livre
apologias para poema
que se foi

5 comentários:

Claudio Eugenio Luz disse...

Apologias são sempre rotas sinceras para palavras que voam leves e livres.

hábraços

claudio

Edilson Pantoja disse...

Quem pode segurá-los?

Clarice disse...

depois de pensado nada segura um poema, ele voa.

Dreamer disse...

que ele tenha uma lápide azul, e ao terceiro-sétimo-dia encontre letas menos tontas.

abraçao amigo de infancias.

Valéria disse...

vôa como uma cantiga de ninar...
um beijo