domingo, 11 de dezembro de 2005

o grafite atraiu as
significâncias de
hoje. em pleno lapidar os
garranchos em o papel
gravado.

3 comentários:

Valéria disse...

esta poesia do lar...gostei demais!!! deu vontade de compor uma imagem com ela...posso?

Claudio Eugenio Luz disse...

Saudades das suas escrituras, meu caro. Palavras escritas e ditas com toda força que nelas subjaz, nem sempre a gente lê.
.
Hábraços,claudio

Valéria disse...

o lar... habita lá...agora.
um beijo