sábado, 31 de julho de 2010

a jovem havia o
nome quase que
prima
quando fazia 19 anos
quis cortar os pulsos.
... cortou os cabelos.
Pedro Pan, outono/inverno 2010

em agora que se fez por
esta manhã
revi uns poemas aí.
meus, próprios.
e nem me importo.
alguns gostei.
outros? nem sei. ou nem sabo.
tô cuns problemas...
onde?
em a gramática.
gramaticalmente falando.
Pedro Pan, inverno 2010.

5 comentários:

Pedro Pan disse...

"O real e válido na árvore, é a reta que vai para cima"
Do conto "Desenredo", Guimarães Rosa.

« Katyuscia Carvalho » disse...

A prima
é meio como a poesia:
pode cortar tudo:
menos os dedos!

Já em a gramática,
cortemos a [grama]:
sejamos agramáticos!


Sempre tão bom [a]pa[i]rar aqui.

Um beijo.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Ainda bem que cortou os cabelos.

Noite de luz, querido amigo.

Rebeca

-

Rayanne disse...

AHAHAHAHAH!

Smos dois, meu bom poeta!

**Estrelas**

Suhelen disse...

sempre me dá um medo de cortar os cabelos.
rever poemas teus, poemas meus é bom porque não dá medo. as vezes bate uma vergonhazinha, normal.

o bom é não temer o que é bom.
;)

beijão, rapaz!