quinta-feira, 29 de março de 2007

e eu, que ando sem
dizer nada o que é
interessante
aos olhos ouvidos e percepções
que a
mim caçam
por entre letras e notas canções.
pelejei fazer um poema
sensacional.
obtive um poema sem
grandes temperações.
Pedro Pan, 2007
escrevi tantos 
poemas com lágrimas.
e foram tantas quantas
as lágrimas
que borrou tudo
não sobrou
uma linha se bem quiser.
Pedro Pan, 2007

21 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

impressão ou são dores que sinto por aqui?
seu poema tem grande temperação seque lágrimas das rimas e vem brincar...
carinho meu nesse dia
beijosssssssssss

Luzzsh disse...

Oi dias são assim...uns, rebuscadas iguarias do chef; outros, destemperos a perder de vista...o lado bom? Sempre fica um poema. ;)
Beijos.

Erika disse...

As palavras as vezes faltam feito o ar?

E as lágrimas podem lavar as palavras de amargura?

Eu adoro qdo me derramo pelos olhos.. não é atoa que choro até em comercial de pasta de dente.

Beijos

eduardo disse...

Seus poemas são ótimos...

clarice disse...

O sal das lágrimas
tempera com o doce de um ser
(Pan)
que comete poesia
(para nosso prazer)

beijo, menino,
sorrí, sorrio pra ti

diovvani mendonça disse...

O interessante é seguir nadaNDO apsar de. Abraço.

P.E. ví seu e-mail, vou te ligar depois.

Jefferson P. disse...

poesias feitas de lágrimas... não poderia ser melhor. Daí nasce o poeta.

Abrçs.

Alex Pinheiro disse...

Olha, a poesia tem vida longa,,, ae o que num momento é "um poema sem gandes temperações" se transforma num "poema sensacional"... vc pode ter espremido tristeza por aqui,,, eu só vi talento cara,,, na maneira de expressar... e 2007 ainda náo é meio!!! 2007 ainda é começo...
Adorei as palavras por aqui,,, digo dos outros escritos...
Abraço e votos de alegres invenções!

maria . disse...

eu tinha um poema q dizia
que eu nasci do borrao da tinta
da caneta do poeta
ja vim torta
ja vim estragada
para estragar

Leandro Jardim disse...

linhas de se querer muito bem!

Filipe disse...

o tanto querer atrapalha as conquistas... nos deixa num estado de disforia.

Múcio Góes disse...

"a cada mil lágrimas, um milagre" (Alice Ruiz)


Bom Pedro I

[]´s

Saramar disse...

não, não, não.
não chore, Poeta.
Antes, lance ao vento, palavras.
Assim é menor a dor.

como escreve coisas lindas, meu Deus!

beijos

Ana disse...

Umas lembranças me fizeram chorar muito hoje também, e pena que não escrevi nada bom assim.

Anônimo disse...

legal o seu blog
Beijos

http://birrentinha.zip.net/

Bosco Sobreira disse...

Sobrou a beleza, Poeta!
Forte abraço.

Mel disse...

Mas não as lágrimas que nos fazem os mais belos poemas?

paulo vigu disse...

Poemas com lágrimas borram a linha e eu preso no aeroporto só porque tentei pegar a linha aérea pro sertão. Riodaqui. água e abraço meu. Paulo Vigu

Lidiane disse...

Pedro, mas não adianta,todo poeta, o poeta de verdade, mesmo brincando de não fazer poesia, faz.

Navegando com o Álvaro Míchkim disse...

Poeta, passe a borracha, recomeçe na fonte e deixe ecorrer essa água para onde ela quiser ir (ou será fluir?).abraços.

Bosco Sobreira disse...

na falta de novos poemas, fica meu desejo de que aproveite o feriadão.
Boa Páscoa, amigo.
Forte abraço.