quinta-feira, 8 de junho de 2006

eu não crio poemas
em gaiolas.

10 comentários:

Leandro Jardim disse...

então não venha ao Rio, porque moramos nelas...

eu tive que aprender a fazer isso... digamos que uso os vãos entre as grades pra cada verso... O ruim é que acaba soando tudo meio vertical... quando belo mesmo é o horizonte..

não é mesmo, meu caro amigo mineiro!

abs

Rayanne disse...

Também não. Poemas criados em gaiolas desaprendem a cor, o vôo, e só sabem a dor e o silêncio vertical da clausura.
Estrelas.

Valéria disse...

mas há poemas que não têm asas e aí não avoam mesmo que não sejam criados em gaiolas... os seus poemas avoam, pairam, ventam e aí vão alimentando de asas aqueles que sabem avoar com poemas...
um beijo

Múcio Góes disse...

eu não creio
em pássaros
em gaiolas.

Pedro é pedra.

[]´s

eduardo disse...

Os pemas são feitos na liberdade.

http://dudve.blogspot.com
http://cartasintimas.zip.net

Nanna disse...

[ ... ]

Beijos...

Lia Noronha disse...

Por isso mesmo...toda essa liberdade criativa e esse poderoso talento!
Abraços carinhosos diretamente do emu Cotidiano.

Claudio Eugenio Luz disse...

Poemas são criados para nos libertar das gaiolas. A inspiração vem de longe, não?

hábraços

Octávio Roggiero Neto disse...

Pedrão, grande poeta, acredito na arte como meio capaz de emancipar o espírito humano. Posso estar enganado, mas a Poesia, mais do que um amontoado de palavras de beleza, é a nossa busca pelo que há de melhor em nós, a fim de que nos livremos, paulatinamente, dos grilhões que nos atravancam o andar, como a rotina, que faz da vida imperceptível e a solidão que corrói. Isso pra não falar de outros grilhões inimagináveis, pois distantes de nossa realidade restrita e muitas vezes engenuamente mesquinha.
Em suma, o segredo é fazer-se livre, mesmo dentro de gaiolas...
Forte abraço!

Mary disse...

Deixe-os livres...