quarta-feira, 24 de maio de 2006


poema que tu...

11 comentários:

Mariana Arraes disse...

eu queria, ao menos, escrever um poeminha pra dar pra alguém...
beijos!
=*

Mary disse...

Cuidado com as coisas que saem da gaveta... :)

Bjus.

Mary disse...

Algumas podem ser frágeis...

Rayanne disse...

Ah!! Lembra este aqui:

"Choveu na carta que você mandou.
Quem mandou?"

Porque nas gavetas, em harmonia serenam aquele sorriso amarelado pelo tempo, aquela tempestade de nome que não lembro, algumas desesperanças, uma escama de infância e aquele amor, aquele amor que era de vidro e se quebrou...

Estrelas.

Leandro Jardim disse...

suas gavetas contém simplicidades abastadas!

E isso é o que há de melhor, parabéns novamente!

Clarice disse...

entre rabiscos perdidos e achados a gente se desenha...

este senhor pedro olha para dentro, só quem olha dentro pode ver lá fora.
mas com tanta boca, deve ter muito a dizer... e
podem nascer outros poemas entre buscas.
carinho meu

Múcio Góes disse...

deste
poema
que me
deste

fiz a
veste
do meu
interior


[]´s

isa xana disse...

e encontraste?


*

Edilson Pantoja disse...

Grande Pedro, sempre a experimentar. Gostei da novidade!
Abraços de Belém!

eduardo disse...

Sempre remechemos as gavetas...
http://dudve.blogspot.com/

http://cartasintimas.zip.net

Claudio Eugenio Luz disse...

Entre os guardados, nem sempre a gente encontra a medida exata.
hábraços