sexta-feira, 24 de março de 2006

a poesia pairou
a poesia
parou-me
como poeira
(a poesia pairou)
tranquei meus
punhos
como se
gotas que
caem

4 comentários:

camilo disse...

Lindo poema . Gostado demais por mim.
abraço meu.

Claudio Eugenio Luz disse...

Metafora sutil e ao mesmo tempo poderosa. Definição original.

hábraços

claudio

Dreamer disse...

que escorra em verso-dor e alinhe-e em traço-sangue.
pingue letras.
pingue letras.

[e os oleiros dormem]

Clarice disse...

destranque e deixe jorrar rios.
abraço amigo